Projeto Observando os Rios se apresentará no 8º Fórum Mundial da Água

14 de Março de 2018, 13h25

Uma das missões da Newton é produzir e compartilhar conhecimento e tornar o mundo um lugar melhor para vivermos. É por isso que nossos projetos de Iniciação Científica e Extensão são todos alinhados aos ODS da ONU e aos desafios apresentados pelo Plano Estratégico de BH 2030. Na próxima semana, reforçamos essa missão com nossa presença no 8º Fórum Mundial da Água.

Nos dias 20 e 21 de março, os resultados do projeto Observando os Rios serão apresentados no evento, que acontece pela primeira vez no Hemisfério Sul, em Brasília. Quem vai representar a Newton por lá é o aluno Wenner Shaday, de Engenharia Ambiental. "Estar engajado nesta iniciativa proporciona a nós, voluntários, um ótimo crescimento acadêmico e social em nossas carreiras. Com certeza a participação neste evento irá me proporcionar um grande enriquecimento profissional ao compartilhar as vivências, práticas e técnicas aplicadas ao estudo da água, tema principal deste fórum", comenta o estudante.

O projeto foi criado pela ONG SOS Mata Atlântica, com o objetivo de monitorar a qualidade das águas de mananciais em todo o país. Desde o final de 2016, ele conta com o trabalho voluntário dos alunos de Engenharia da Newton, que abraçaram a causa e respondem pelo monitoramento dos Córregos Cercadinho e Ponte Queimada, que nasce no bairro Buritis e deságua no Ribeirão Arrudas. Ambos foram escolhidos devido à proximidade do centro universitário. "No Cercadinho, trabalhamos quando as águas chegam no bairro Havaí e no Ponte Queimada quando chegam no bairro Palmeiras. Em cada córrego temos um ponto de coleta e, uma vez ao mês, independente se o dia está ensolarado ou chuvoso, os alunos vão até as margens dos córregos para coletar água para análise", explica o professor Luciano Emerich Faria, coordenador do Observando os Rios.

Até agora, a equipe da Newton fez 15 análises e, na maioria das vezes, as águas dos córregos apresentaram resultados regulares, ficando com 29 pontos. "Além do trabalho feito com os kits enviados pela SOS Mata Atlântica, estamos estudando uma forma de monitorar outros rios e córregos da região com recursos próprios da Newton", acrescenta. Segundo Luciano, a ideia é, a médio e longo prazo, trabalhar com a prefeitura e o governo do Estado para realizar ações de limpeza dos mananciais.

O docente se sente honrado em participar de um projeto tão importante. "Fazer parte dessa rede de voluntários mobilizados em monitorar os rios de suas cidades e preservar os recursos hídricos é uma grande oportunidade como cidadão e uma experiência acadêmica incrível, pois, além do monitoramento, os alunos realizam coletas e fazem análises pontuais que enriquecem qualquer currículo e são um diferencial no mercado de trabalho", completa.

Para conhecer os resultados das análises do Observando os Rios desde o início do trabalho da Newton, acesse AQUI. Ouça matéria sobre o projeto na CBN.

Lembrando que, em novembro de 2017, o projeto foi um dos destaques do Eureka, que reconhece o trabalho dos alunos e professores da instituição nas áreas de Extensão e Iniciação Científica.


8ª FÓRUM MUNDIAL DA ÁGUA

O 8º Fórum Mundial da Água acontece entre os dias 18 e 23 de março, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. O evento é organizado pelo Conselho Mundial da Água, fundado em 1996, com sede permanente na cidade de Marselha, na França. O mesmo reúne cerca de 400 instituições relacionadas à temática de recursos hídricos em aproximadamente 70 países, com representantes de governos, academia, sociedade civil, empresas e organizações não-governamentais.


Projeto observando os rios se apresentar%c3%a1 no 8%c2%ba f%c3%b3rum mundial da %c3%81gua

Da esquerda para direita: Rafael Figueiredo e Alberto Lima (ex-voluntários do projeto), Wenner Shaday, Victor Bertoni, Ana Beatriz Souza e Luciano Emerich Faria.

Serviços Online

fechar