Descubra como evitar os ‘inimigos’ do foco e da concentração

10 de Maio de 2019, 10h12

Você já teve aquela sensação de que seu dia está curto? Algumas tarefas parecem ser difíceis de começar? Deixar o celular de lado é quase um sofrimento?

Se identificou com alguma dessas situações? É possível que você seja uma vítima dos grandes inimigos que prejudicam seu foco e sua concentração. Sem perceber, hábitos que atrapalham a sua produtividade passaram a fazer parte da sua rotina.

A psicóloga e profissional responsável pelo NAPp (Núcleo de Apoio Psicopedagógico) da Newton - campus Silva Lobo, Marley Marques Zeferino, destaca alguns dos principais motivos que nos levam à dispersão. “Na maioria das vezes, nos dispersamos e recorremos a dispositivos móveis quando estamos cansados ou desinteressados. Se fizermos o exercício de retomarmos nossas metas e objetivos com os estudos, conseguiremos ter mais controle e poder sobre o que nos distrai”, aponta.

Para a psicóloga, “um dos maiores inimigos do foco e da concentração é o excesso de estímulos que recebemos por estarmos o tempo todo conectados à internet. É importante tentarmos nos desconectar ou silenciar notificações nos momentos que precisamos de ter foco ou executar alguma tarefa”, comenta.

Para quem acha ficar sem verificar as notificações no celular ou no computador uma “missão impossível”, Zeferino dá algumas dicas. “Sugiro traçar pequenos tempos de estudos com pausas intercaladas. Mas atenção, são pausas, poucos minutos, de 5 a 10, dependendo do tempo que definiu para estudar. Nestas pausas, pode se conectar novamente, mas não ultrapasse o período estipulado de pausa. Com o tempo, você vai perceber que consegue ficar mais minutos que imaginava sem utilizar a internet”, ressalta.

Outro fator inimigo do foco e da concentração é a famosa ansiedade, conforme explica Marley. “O próprio excesso de estímulos e exposição a redes sociais nos deixa mais agitados, insatisfeitos e até diminui nossa autoestima, o que muitas vezes desencadeia sensações de ansiedade e inadequação”.

A vida de estudante, seja de graduação ou pós-graduação, também é reconhecidamente geradora de ansiedade. “O ambiente acadêmico é por si só estressante, são muitos conteúdos, o cronograma é corrido e somos testados o tempo todo em nossas habilidades de relacionar e lidar com as mais diversas situações e pessoas. Isso pode gerar uma ansiedade que acaba nos tirando o foco do que precisamos no momento e nos preocupamos com situações futuras e muitas vezes incertas, gerando um certo sofrimento”, salienta a psicóloga.

Zeferino afirma ainda que, para garantir o foco e a concentração, “cuidar da nossa saúde mental e emocional é primordial!”. Por isso, é importante incluir na rotina a prática de exercícios físicos e atividades de lazer, manter uma alimentação saudável, ter interação social e boas noites de sono.

Essas sugestões foram úteis para você? Confira também as dicas da psicóloga para continuar motivado e concentrado mesmo estudando e trabalhando.

Istock 913812224

Últimas notícias da categoria De olho na carreira

De olho na carreira
21/05/2019
Teste

Conheça o Movimento "Maio Amarelo"

Receba novidades sobre Carreiras

Serviços Online

fechar

Novos cursos Enem Indicacao